Caracterização

A vila de Góis e sede da Freguesia encontra-se nos terrenos aplanados da fértil bacia do Ceira, entre a Serra do Rabadão e a Serra do Carvalhal, tendo-se desenvolvido na margem direita do rio (Serra do Rabadão) e na margem esquerda, em plano pegado à base da Serra do Carvalhal. A Freguesia agrega os lugares de Póvoa de Góis, Bordeiro, Civado, Vale Boa, Outeiro, Piães, Vale de Maceira, Casal Loureiro, Liboreiro, Vale de Moreiro, Manjão, S. Martinho, Regateira, Vale Travasso, Casalinho de Cima, Casalinho de Baixo, Luzendas (Luzenda d'Além e Luzenda de S.tº António), Cortecega, Casal do Bordeiro, Samoura, Nogueiro, Carvão, Alagoa, Pião, Casêlhos, Portela, Portela de Góis, Conhais, Ponte do Sótão, Alegria, Pontão do Seladinho, Frontão, Albergaria, Cerejeira, Comareira, Aigra Nova, Aigra Velha, Alvém, Cimo de Alvém, Ladeiras, Carvalhal Miúdo, Carcavelos, Esporão, Casal Taborda, Ribeira Cimeira, Ribeira Fundeira, Pena, Vale Torto, Cerdeira, Póvoa da Cerdeira, Povorais, Folgosa, Vale Godinho. 
 
Confronta com as Freguesias de Vila Nova do Ceira (Concelho de Góis), Cadafaz (Concelho de Góis), Alvares (Concelho de Góis), Serpins (Concelho da Lousã), Vilarinho (Concelho da Lousã), Pombeiro da Beira (Concelho de Arganil) e Celavisa (Concelho de Arganil).
 
O sistema produtivo assenta sobretudo no setor industrial, empregando uma grande parte da população ativa total, sendo um dos concelhos de Coimbra onde esta atividade tem um valor mais elevado, principalmente na indústria de transformação da madeira. A agropecuária tem uma papel importante na economia local, principalmente pela exploração florestal, sendo uma atividade praticada a tempo parcial e em complementaridade com outro emprego. 
 
O setor terciário não é muito representativo, subsistindo ainda o pequeno comércio, principalmente de cerâmicas.